Geral

100 toneladas de verduras plantadas em presídios beneficiam 184 instituições filantrópicas em Minas

Em um gesto de solidariedade que ultrapassa as barreiras das muralhas, o sistema prisional de Minas Gerais tem se destacado por suas hortas orgânicas, que, em 2023, proporcionaram a doação de incríveis cem toneladas de verduras, hortaliças e legumes orgânicos para 184 instituições beneficentes formalmente cadastradas. Essa ação nobre ocorre graças ao trabalho diário de 253 detentos em 20% das unidades prisionais do estado.

As hortas em 36 penitenciárias e presídios administrados pelo Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG) não apenas abastecem as cozinhas das instituições filantrópicas, como asilos, abrigos, creches e escolas, mas também promovem a profissionalização dos detentos, oferecendo uma oportunidade de aprendizado e contribuindo para a ressocialização.

Em Eugenópolis, por exemplo, 200 kg de alimentos, incluindo pimentão, repolho, alface, cebolinha e couve, doados pela Penitenciária local, farão a diferença na ceia natalina de seis instituições, incluindo a Apae. Na Penitenciária de Uberaba, 100 kg de folhas diversas, quiabo, abóbora e abobrinha foram entregues ao asilo São Vicente de Paula, garantindo refeições festivas para os residentes.

O diretor de Trabalho e Produção do Depen-MG, Paulo Duarte, destaca a importância das hortas não apenas como fonte de doações, mas também como ferramenta de profissionalização. “As doações enriquecem as refeições de crianças e idosos, e os presos são capacitados profissionalmente para desenvolver a atividade quando terminarem de cumprir a pena. Toda uma rede de relacionamentos se estabelece, em prol de uma ação social que envolve saúde e bem-estar.”

O subdiretor de Humanização do Atendimento da Penitenciária José Maria Alkmin, Hebert Sampaio, enfatiza o impacto positivo das doações. “Os presos da horta têm conhecimento para onde vão os alimentos cultivados por eles, portanto, sabem do valor do seu trabalho para as pessoas beneficiadas.”

Além dos benefícios sociais, as hortas prisionais promovem uma corrente do bem, envolvendo doações de insumos por parceiros do Depen, apoio técnico de instituições como a Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais) e visitas de técnicos da Secretaria de Agronegócio, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente.

O ciclo de solidariedade, que completa 13 anos de existência, destaca a capacidade transformadora das ações sociais no ambiente prisional, reforçando a ideia de que, mesmo nas circunstâncias mais desafiadoras, a empatia e o cuidado podem florescer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
×