Geral

Minas amplia número de doenças diagnosticadas pelo teste do pezinho

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em colaboração com o Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Nupad) da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), anunciou hoje a inclusão da Atrofia Muscular Espinhal (AME) no Programa de Triagem Neonatal (PTN), mais conhecido como teste do pezinho.

A medida faz parte do Programa Mineiro de Acessibilidade, Inclusão e Saúde (Promais), lançado pelo Governo de Minas em novembro de 2023, com foco em atender pessoas com deficiência ou doenças raras. A iniciativa visa garantir um diagnóstico precoce, permitindo o início imediato do tratamento, proporcionando uma vida saudável para as crianças afetadas.

Caroline Ribeiro, uma servidora pública estadual que enfrentou nove anos de espera por um diagnóstico de AME, expressou sua emoção diante da inclusão da doença no teste do pezinho: “Fico muito feliz em saber que agora a AME está incluída no teste do pezinho e que todo recém-nascido poderá ser diagnosticado e receber o tratamento logo ao nascer, garantindo um desenvolvimento saudável como o de qualquer outra criança.”

A ampliação do PTN, anunciada durante coletiva de imprensa, terá início imediato a partir de 30 de janeiro. Todas as amostras de crianças que fizerem o exame pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais serão testadas não apenas para a AME, mas também para a Imunodeficiência Combinada Grave (SCID) e a Agamaglobulinemia (Agama), além das 12 doenças já triadas anteriormente.

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, ressaltou a importância desse avanço: “Com o diagnóstico do teste do pezinho, nossa expectativa é a de que, em menos de 20 dias, essa criança esteja fazendo sua primeira consulta no ambulatório de doenças raras do Hospital das Clínicas, proporcionando uma vida de qualidade para esses pacientes.”

A diretora da Faculdade de Medicina da UFMG, Alamanda Kfoury, destacou a parceria estratégica com o Governo de Minas, afirmando que o diagnóstico precoce é crucial para os pacientes.

O investimento do Governo de Minas para essa fase de expansão da triagem será de R$12 milhões em 2024, proporcionando a testagem em massa de crianças para doenças de difícil diagnóstico. O Programa de Triagem Neonatal já havia sido expandido em 2021, incluindo toxoplasmose congênita e mais cinco doenças relacionadas a defeitos da beta-oxidação dos ácidos graxos.

A iniciativa visa triar 100% das doenças raras até o final de 2024, proporcionando tratamento adequado desde os primeiros dias de vida. O teste do pezinho é fundamental para garantir que crianças afetadas por doenças graves, como a AME, recebam atendimento especializado de forma rápida, prevenindo sequelas irreversíveis e salvando vidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
×