GeralItabirito

Presidente da Câmara se posiciona a favor do governo

Na última reunião ordinária da Câmara Municipal de Itabirito, realizada nessa segunda-feira (25), o presidente Arnaldo Pereira dos Santos (MDB) defendeu o Executivo Municipal e se posicionou favorável, em alguns aspectos, ao governo do prefeito Orlando Caldeira (Cidadania).

Arnaldo defendeu a criação de um heliponto na cidade, algo anunciado pelo prefeito Orlando Caldeira, como uma demanda necessária para atendimento da população, em casos de urgências, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA Celso Matos da Silva) de Itabirito. De acordo com o Orlando, o projeto do heliponto já foi aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a licitação para início da construção já foi proposta.

“Quando eu vejo que o prefeito falou sobre o heliponto, assusta né? Porque nem tem ambulância direito e já vai ter heliponto? Mas, observem bem uma coisa; vamos raciocinar: o projeto inicial da UPA tinha o heliponto. Se vocês conversarem com qualquer profissional da área, vocês imaginam que não é muito incomum vir helicópteros aqui para buscar pacientes, mesmo porque o índice de acidentes é alto. Sempre há uma situação de emergência”, iniciou Arnaldo, em sua defesa à criação do heliponto.

O presidente da Câmara ressaltou que é importante conhecer o projeto. “Um paciente que requer transporte aéreo, já é um paciente em situação muito delicada. Ele está em um leito, estabilizado. Você tira, põe dentro de um carro, desce dois minutos, no máximo, pela rampa. Lá você torna a tirar, põe dentro da aeronave, pra poder seguir o rumo. O paciente só pode sair para esse transporte se ele tiver estabilizado e, dessa forma, na proposta da construção do heliponto, e aí é interessante conhecer o projeto, o paciente já sai da maca dentro da aeronave. E isso, por se só, se salvar uma vida, a iniciativa já valeu”, argumentou.

De acordo com Arnaldo, a criação do heliponto em Itabirito é necessária. “Então, tem algumas questões que precisam ser analisadas, e eu procurei aprofundar um pouquinho nesse projeto e conversei com alguns profissionais. Então, eu não faço críticas a essa situação. Eu acho que é necessário. Se tem condição de fazer que faça. Claro, uma coisa não depende da outra. É possível fazer o heliponto, a reforma, o muro que caiu”, frisou.

Arnaldo falou também sobre as prioridades na administração pública. “Todas as áreas têm que desenvolver, senão estaríamos aqui agora, falando o seguinte: ‘tem casa debaixo de terra; tem barranco em cima de casa, e vai gastar tantos mil, ou milhões, sei lá, com Julifest’. Não, mas também precisa ter o Julifest! Precisa movimentar, contratar, produzir. A cidade é um todo. Quem realmente define; quem recebeu, por parte da população, essa posição de definir ou direcionar os recursos é o prefeito. Nós podemos discordar ou aceitar. E esse ambiente aqui é pra discussão. Nós estamos participando dessa discussão, sobre o que a gente acha que é prioridade”, enfatizou.

Sobre a discussão da pavimentação da Avenida Manoel Salvador de Oliveira, no bairro Bela Vista, enquanto há outros pontos da cidade que necessitam, com mais urgência, de um recapeamento, Arnaldo disse que respeita a decisão da prefeitura, apesar de achar que deveriam começar as obras em outro lugar. “Quando eu vi tirando aquele asfalto lá, eu pensei que poderia ter começado outra hora. Poderia começar em outro lugar? Sim. Acho até que deveria. Mas essa é a posição deles e eu respeito essa posição”, pontuou.

Após a fala do vereador Léo do Social (PSDB) sobre a situação de moradores que foram afetados pelas chuvas e enchentes de janeiro, Arnaldo também defendeu a Prefeitura de Itabirito. “As contenções que caíram, a prefeitura, através de um decreto que foi publicado, e subentende-se que é do conhecimento de todos, quem tá com terra dentro de casa e a máquina consegue entrar, vai à prefeitura e faz o requerimento. Precisa ser atendido. A demanda é grande e aí vamos ver qual é a programação. Mas há previsão desse atendimento sim. A terra está lá, a máquina entra, então tem essa condição de resolver”, afirmou.

Arnaldo falou também sobre a reforma na UPA. “Sobre a UPA, eu tive uma notícia que eu considero boa, de que já teve uma licitação, estão fazendo o último levantamento sobre vazamento pra poder começar a obra da UPA. Realmente, precisa melhorar, porque não está legal. Tem uns mofados em alguns espaços lá que não tá legal”, informou.

Já sobre as demandas necessárias no Mercado Municipal, uma discussão feita pelo vereador Léo do Social durante a reunião da Câmara, Arnaldo concordou que o local precisa de melhorias há muito tempo. “Foi conversado aqui sobre o Mercado Municipal precisar de alguns reparos. Já precisava antes, depois das enchentes precisa ainda mais. E tem que ser repensado. Não dá pra Secretaria de Agricultura disciplinar sobre funcionamento de boteco dentro da feira. Quem tem que falar sobre isso é a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Precisa separar, porque senão aquela ideia inicial de ser uma feira do produtor perde o valor. Mesmo porque já não tem quase ninguém produzindo e quem produz ainda tem que disputar espaço com os bares. A reclamação está muito grande, principalmente dos produtores rurais”, disse o presidente da Câmara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
×